DICAS DE EDUCAÇÃO
« voltar   
Assessoria Nutricional Escolar
Alimentação complementar na Escola Fazendinha
  Débora Rosa


     A partir de 6 meses, o bebê está pronto para receber uma COMPLEMENTAÇÃO em sua alimentação.

     Alimentação complementar: é a oferta de alimentos à criança que recebe leite e esse processo se inicia quando o leite (materno ou fórmula infantil) não é mais capaz de suprir as necessidades diárias de energia (calorias) e nutrientes que o bebê precisa para continuar crescendo e se desenvolvendo de forma saudável.

     Essa introdução deve ser lenta e progressiva, devendo ser evoluída tanto em quantidade como em consistência, de acordo com a habilidade, tolerância e aceitação do bebê.

     Essa é uma etapa FUNDAMENTAL do desenvolvimento infantil e de extrema importância para a formação do paladar e memória alimentar do bebê, portanto, tudo o que for oferecido a ele será primeiramente armazenado em sua memória para, posteriormente, ser reconhecido como preferido ou não.

     A preferência por determinado tipo de alimento decorre de um processo de aprendizagem. Dessa forma, as crianças aprendem a ter maior preferência pelos alimentos que são oferecidos com maior freqüência, portanto, evite expor os mesmos alimentos á criança mesmo que ela demonstre maior interesse por uns do que por outros!!

     Aqui na Escola Fazendinha, nós temos uma grande preocupação com esse período, pois a formação do hábito alimentar inicia-se nessa fase e para facilitar a aceitação de uma alimentação rica e variada, a criança será exposta, em tempo oportuno, aos diferentes tipos de alimentos ainda no primeiro ano de vida.
Outra característica muito importante do nosso processo de introdução dos alimentos é a consistência dos alimentos oferecidos. Hoje em dia, evitamos a oferta prolongada de sopas ou papas e priorizamos, as combinações alimentares!

     Uma vez que o bebê desenvolve habilidades para receber, deglutir e digerir alimentos semi sólidos, como frutas macias amassadas, ele também estará pronto para receber outros alimentos na mesma forma de apresentação, como legumes, arroz, carnes bem cozidas e bem processadas, feijões e etc.

     Até determinado momento da vida do bebê, ele só havia tido contato com consistências líquidas como leite materno e sucos. Após a introdução das frutas, se tudo tiver corrido bem, o bebê estará pronto também para receber alimentos “salgados” na mesma forma de apresentação das frutas, como batata amassada, caldo de feijão, abóbora amassada, carne desfiada e etc.

     Estimular o reflexo da mastigação com alimentos bem cozidos, em consistência e volume adequados trarão inúmeros benefícios no momento da transição alimentar – quando a refeição passa de alimentos amassados para a comida da família-, que ocorre por volta dos 12 meses.

     Além de não favorecerem a mastigação, as papas preparadas com inúmeros alimentos dificultam o reconhecimento de cada alimento pela criança. Dessa forma, a criança desenvolve seu paladar ao redor de um alimento que não existe, mas sim de uma preparação inteira e na hora de oferecer esses alimentos separadamente surgirão as famosas recusas.

     Nosso objetivo é fazer com que as crianças sejam apresentadas ao maior número de alimentos possível em consistências e em quantidades adequadas, sempre respeitando a tolerância e as individualidades de cada bebê.

Atenciosamente,
Débora Rosa
Nutricionista

 
Rua Bartira, 24 - Perdizes - São Paulo - SP - Tel.: 11 3926-9996